sexta-feira, novembro 10, 2006

Do baú de espantos

Ed(gar): abre o baú, homem, e mostra o que tens guardado.
Rod(ger): não tenho baú... Se tivesse seria de espantos.

- // -

Três poemas que me roubaram

Lá pelas tantas menos um quarto eu suspirei num poema:
"Vontade de escrever Sagesse de Verlaine..."
Mas o que eu tenho vontade mesmo
é de haver escrito a Pedra no Meio do Caminho
a Balada & Canha, a Estrela da Manhã,
se
- ó Musa infiel,
não te houvessem possuído antes
Carlos, Augusto e Manuel!

(Mário Quintana, do seu Baú de Espantos)

- // -

Rod(ger): Não só os poemas seriam roubados mas também o nome do baú. Quem dera, Ed, eu tivesse alguma coisa mofando.

1 Comentários:

At 27 novembro, 2006 03:13, Anonymous marconi leal disse...

Gostaria de ter escrito A Clymène, de Verlaine...

 

Postar um comentário

<< Voltar